Em sua terceira edição, o EPCA apresenta como tema Comunicação e Resistências: ameaças à democracia, lutas por reconhecimento e políticas do cotidiano. O evento ocorrerá nos dias 20, 21 e 22 de novembro de 2019 e procura reunir discentes, docentes, pesquisadores e demais integrantes da sociedade civil em um espaço de interlocução e diálogo. Além de oportunizar importantes momentos de troca de conhecimentos e informações, o evento também disponibiliza espaço para que esses públicos possam apresentar seus trabalhos e dialogar com outros atores por meio de atividades de compartilhamento, cujo objetivo é fomentar o intercâmbio entre seus participantes. Durante o encontro, são realizados: (a) conferências, (b) mesas de debate, (c) jornada interprogramas de pós-graduação da Amazônia, (d) plenária de jovens pesquisadores da Amazônia e (e) reuniões de grupos de trabalho (GTs), além de (f) lançamento de livros e (g) programação cultural. Ao todo, serão oito Grupos de Trabalho.

De acordo com a temática deste ano, propomos ampliar ainda mais o horizonte de debates e uma maior aproximação e inserção de interlocutores da sociedade civil organizada como ativistas, representantes de movimentos sociais, ativistas, entre outros, que possam dialogar com a produção acadêmica desenvolvida no interior das universidades. Portanto, para este ano, a estimativa é que o público local e nacional do evento aumente de forma expressiva com vistas a alcançar até mesmo o dobro de participantes dos anos anteriores.


A terceira edição do Encontro de Pesquisadores em Comunicação na Amazônia está imersa em um contexto de intensas crises sócio-políticas que se manifestam em diferentes esferas da vida social, com impacto direto na forma como conduzimos nossas investigações no campo das Ciências Sociais Aplicadas, seja pelo descaso com o qual tem sido tratada a educação e a produção de ciência no Brasil, como pela necessidade de descortinamento das relações que se estabeleceram entre sujeitos que ocupam diferentes espaços de disputas em constantes relações de poder, notadamente desiguais.

O evento propõe uma temática que representa um amadurecimento de discussões político-epistemológicas, surgidas ainda na primeira edição, em 2017, quando o tema foi “Os desafios da Pesquisa em Comunicação na Amazônia”, que se fortaleceu durante o encontro 2018 – momento em que vivenciávamos um Brasil pós-eleições em uma conjuntura de derrota para setores progressistas diante de uma agenda que desdenha dos direitos humanos – quando contamos com o tema “Comunicação, sociedade, tensões e conflitos contemporâneos”, e que culmina nas reflexões sobre resistência que pontuamos na edição deste ano.


Receberemos para as conferências de abertura e encerramento dois estudiosos da comunicação renomados internacionalmente:

Prof. Dr. MUNIZ SODRÉ

Professor emérito da UFRJ, graduado em Direito, mestre em Sociologia da Informação e Comunicação e doutor em Letras, Muniz Sodré é um dos principais teóricos da Comunicação no Brasil. Seu trabalho soma cerca de 30 livros publicados na área, como o Antropológica do Espelho, A Ciência do Comum e Pensar Nagô. O autor integra a Conferência de Abertura do EPCA 2019.

Profa. Dra. CICILIA PERUZZO

Com trajetória acadêmica desenvolvida toda na área da Comunicação, a autora brasielira é referência nas linhas de Comunicação popular, comunitária, alternativa, mídia local e Relações Públicas, na perspectiva crítica e dos movimentos sociais. Cecília Peruzzo tem mais de 20 livros publicados na área e é presença confirmada na Conferência de Encerramento do EPCA 2019.


Além de propor as conferências de abertura e de encerramento, as mesas redondas, as apresentações em grupos de trabalhos e a programação cultural, o EPCA 2019 traz novidades. Uma delas é a mesa intitulada “Narrativas e Vulnerabilidades” com integrantes do PROCAD/AMAZÔNIA. Ressaltamos a importância dessa mesa, uma vez que a abordagem se direciona às pesquisas em comunicação na Amazônia e reúne pesquisadores de diversas instituições.

Outra importante novidade é a jornada interprogramas de pós-graduação em Comunicação na Amazônia, que visa trazer coordenadores e/ou pesquisadores das pós-graduações para apresentar e compartilhar com o público um panorama da pesquisa científica produzida em seus PPG, estimulando, inclusive, a participação dos discentes e pesquisadores de outros Estados da região. Todos os coordenadores dos PPGS em Comunicação na Amazônia já foram contactados e devem compor uma mesa para discutir as especificidades e desafios da pesquisa de Comunicação na região, a fim de estreitar os laços entre os programas e criar uma rede regional de cooperação. Com isso, o PPGCOM-UFPA reafirma o papel nucleador que tem exercido ao longo de sua caminhada e que ficou ainda mais evidente ao aprovar o primeiro curso de Doutorado na área de Comunicação na região amazônica. Uma vitória fundamental para fortalecer novos intercâmbios, troca de conhecimentos e difusão de suas pesquisas e do saber científico.

Fechar Menu
×